30 de maio de 2016

eu mesma me roubei o
direito de sonhar um
futuro que nos coubesse
e não cumpro as promessas
que escrevi com as pontas
dos dedos dos meus lábios
me perdoe a fragilidade de
colocar o amor nesse templo
inacessível à esquerda do
meu corpo e enterrar aqui
tuas esperanças sem nem
mesmo respeitar teu luto
tardia como sempre,
trago a confissão agora
que o tempo já transformou
tudo em memória

Cáh Morandi

Um comentário:

Rubyanne Serejo disse...

De onde vem tudo isso???
lindooo =)

Curta