21 de fevereiro de 2016

depois de guardada sob
o segredo do seu corpo
e sobre a pele dos mapas
que mentem mais sobre suas
origens do que seu destino

depois, esconde-me para
ler em minha boca o poema
que corre em minhas veias

e, depois de conhecer o que sou
além das palavras, perdoe

Cáh Morandi

Nenhum comentário:

Curta