11 de fevereiro de 2016

poderia ser decifrado
pela palavra atravessada
na garganta, significar ou
sinonimar sua existência

mas sempre é o que fica,
o silêncio que atravessou
o segundo interminável, o
espaço entre as palavras ao
se contar a história que não
aconteceu, o suspiro pesado
no pensamento profundo, a
carta amarelada pelo tempo
ainda presa ao caderno, o
prato que sobra ao se por
a mesa, a lembrança que
falta ao se por a vida

a loucura, a coragem,
a confissão, a irracionalidade
não vieram e

depois de não ter sido,
só a fé ressuscita
o amor


Cáh Morandi

Nenhum comentário:

Curta