28 de julho de 2015

possível nada


é possível ser 
mais falta do que
presença? ser não 
o que fica, mas o
que sobra? ser a
poeira, a migalha
à beira da mesa,
o gole que fica
no copo, o corpo
desabitado da alma;
ser próximo a nada
e ainda sentir muito?


Cáh Morandi

Curta