13 de julho de 2015



O tempo abre em nós o
peso da inconstância; sempre
novo, repetindo sempre as
perguntas e embaralhando as
respostas. Digo de onde venho, 
mas confio a história ao que
logo ali, virá. Tempo. Pela fresta 
que te vejo és sempre tão pequeno
para dolorir, tão grande para
me diluir.



Cáh Morandi

Curta