24 de março de 2015

ao passado


Não sou condenada pelo futuro, somente o passado poderia colocar em mim suas algemas. Acontece que nunca fui de me culpar, de me torturar por mal algum que tenha feito - porque se fiz, fiz sem querer. Falhei em todos os relacionamentos anteriores. Sim, todos. Se perguntarem aos que me amaram, ou a quem amei, certamente haverá uma lista de coisas que dirão sobre mim. A intensidade me fez uma mulher urgente e até aqui vivi paixão e amor em alta tensidade. Sei que avassalei alguns corações simplesmente por ser eu. Passei rápido demais por algumas vidas - e em algum caso, não fui embora por querer, mas por medo de que poderia justamente achar sossego. Meus sentimentos à quem magoei, à quem disse algo de forma bruta, à quem respondi com um silêncio torturador. Paixões, me desculpem. Amor, me perdoe.

Cáh Morandi

Curta