9 de janeiro de 2015

Eu estou com medo, eu estou morrendo de medo. Eu queria que você me conhecesse um pouco mais para saber que toda essa frieza, é na verdade, simples e puro medo. Medo de dizer que te amo. Medo de dizer que penso em você a cada minuto do dia. Medo de te ligar e me confessar. Medo de saber que você está amando outra pessoa. Medo de ter que te olhar novamente e agir naturalmente, quando estou no desespero de te beijar. Medo de encostar minha mão na tua e relembrar os teus dedos por toda minha pele. Medo de ir nos mesmo lugares que fomos juntos e reviver o som do tua risada. Medo de abrir meus emails. Medo de perder uma ligação tua. Medo de abrir os livros que lemos juntos, porque sei que ainda ouvirei tua voz sendo pausada pelos suspiros. Medo de comprar manteiga aviação porque ela tem o gosto que gosta o teu paladar. Medo das músicas que ninguém ouve, porque só nós dois sentimos. Medo de não saber o que fazer com o que eu sinto. Medo de ser agir ridiculamente por amor. Medo de ter você. Medo de te perder. Não agir, estremecida de medo, não te tira e nem te traz para mim. Medo de saber tua resposta. Medo de não ser tua resposta. Me perdoe por esta ausência, pela forma dura com quem finjo que você não existe. No fundo, é só amor. Um amor repleto de medo de existir.

Cáh Morandi

Nenhum comentário:

Curta