25 de junho de 2014

...

aqui desisto de você
esconderei seu nome
esquecerei seu endereço
apagarei as digitais da pele
o gosto do beijo na boca
não lembrarei nossos dias
suspenderei seus contatos
doarei a sua camisa que me vestia
reorganizarei os livros e os quadros
alterarei a ordem das cores
deletarei as nossas músicas
dormirei no centro da cama
replanejarei meu lugares
não irá se topar comigo
não saberá a cor do meu vestido
não conhecerá minhas novas cicatrizes
não amará ninguém mais inconstante,
não amará ninguém que te escreva -
(talvez sim, é possível,
mas não com tanta verdade.)
e de repente teremos nos esquecido,
teremos nos substituído em outro alguém,
saberemos, vez em quando,
feliz ter sido. Aqui-agora não decidimos,
não nos permitimos. Ousar, se quiséssemos.
Amar se fossemos precisos.



Cáh Morandi

Um comentário:

marcelia disse...

Nossa esse poema é de separação de um amor que não tem mais rsrs e olha que acabei de ver um poema de amor juntinhos. bom no meu caso eu tenho o amor de meu amor rsrsrs. esse poema com certeza é para quem está realmente desiludida de um amor que fosse amor.
flor tem post de um aparelho que dá CHOQUE no rosto e tem vídeo "SEU BLOG NO MEU VÍDEO" onde divulguei 11 blogueiras e pretendo fazer novamente mais para frente e tem SORTEIO de tablet e make francês depois vou fazer de FILMADORA. me visita. magrafelizpensa.blogspot.com e www.youtube.com/user/marcmarify

Curta