30 de abril de 2013

Oração


Orar, nem sempre é a palavra que alcança, minha oração às vezes é só o silêncio. Deus conhece minhas ausências. Cada lágrima que rola sobre a minha face é assistida por Ele, cada sorriso meu é um brilho para Seu olhar. Conhecer Deus é descobrir com confiança que não importa as direções das marés, as oscilações da embarcação, Ele está segurando a ventania com as Suas próprias mãos para me manter segura e em paz. Não há o que temer. Sei que Seu silêncio também é resposta e Sua voz pode parecer imperceptível para mim, mas sei dos Seus sinais. Teu amor não me permite mais qualquer dúvida. Teu amor já é resposta da minha oração.

Cáh Morandi & Wanderly Frota

29 de abril de 2013

Cresceu-me


Melhor me acostumar a não te perder. Se me despeço, então parto de mim. Gosto do teu gosto que oscila. Sempre estou ao teu reencontro. Perdemos tantas vezes. Obviedades não eram nossos caminhos comuns. Passamos muito longe. Andamos muito mais pelos desvios. Esquecer quem fomos não é anular quem somos. Esqueço vagarosamente cada um dos teus traços, a parte em que você é em mim não me separa. Qualquer um me olha, só você me vê de dentro para fora. Germinou-me. Teu amor é o meu fruto. Cresceu dentro de mim, tuas mãos são raízes.

Cáh Morandi

23 de abril de 2013

Peregrinação




Teu sorriso peregrina em minha memória. Como poderia te esquecer? Fecho os olhos e quase não quero voltar a abri-los. Minha melhor lembrança é sempre tua. O que existi ao teu lado, não existo mais em lado algum. Te amo, com saudades. Te amo como te amei antes de te conhecer, antes mesmo da tua face se formar em minhas mãos. Te amarei mesmo depois da despedida. Acho que o amor só é pleno em chegadas, desconhece os acenos.

Cáh Morandi

17 de abril de 2013

Confesso que...




Toda minha vida sinto que esperava por alguma coisa. Uma felicidade, um amor, uma grande realização. Você? Você não. Eu não tinha esta ousadia, esta perspicácia. Estou aprendendo a desaprender desde que você chegou. Desaprendendo a ser forte, para cair mais frágil em teu abraço. Desaprendendo a ser independente, para sofrer teu cuidado. Desaprendendo a ser fria, para efervescer no calor dos teus lábios. Desaprendendo a me medir por baixo, porque o seu olhar reflete a mulher que esqueci. Tenho amado o tempo em que você está comigo, me ajudando a reconstruir a esperança no amor. Descanso no som da tua voz. Tua mão em minhas costas é uma rede debaixo da sombra. Gosto de pensar em você quando troco o timbre pelo pensamento. Se não te amo, queria amar. Estou desejando te amar. Oro para que Deus grave as tuas digitais no meu coração. Aprendo contigo a gostar de você. Aprendo com tua paciência, a pressa de te corresponder. Juro que preciso de você. Te dou o direito de desconfiar do meu amor, mas nunca da minha palavra.

Cáh Morandi

16 de abril de 2013

Não responda, amor.




Meu perfeccionismo precisou falhar. Tive que reaprender a pousar o olhar mais leve sobre as expectativas. Esperava sempre por algo grandioso, fulminante e arrebatador, mas este mundo se limita ao mediano. As boas palavras só existem na garganta. A curva oculta o segredo da estrada. Melhor é sempre não esperar. O amor não se esquece, somente peca na incompetência de se confessar. Desisto. Meu beijo em teu rosto é me aceno. Teu gosto em meus lábios é o merecimento. Começo onde o cansaço te derrota. Meu suor é tua sede. Não entenda, eu também já me perdi nas alternativas. Talvez eu tenha perdido muito tempo construindo boas perguntas que – para não mais me doer – não quero respostas.

Cáh Morandi

10 de abril de 2013





Te conheci antes de mim. Antes eu era apenas qualquer pessoa, agora sou um nome que existe na tua boca. Nossa história começa a partir de nós, até ali éramos apenas rastros. Não sei se eu estava na tua espera ou você que estava na minha procura. Talvez sempre vivemos um para o outro.

Meu ontem não quero retomar. Quero recomeçar fazendo futuro com você. Não porque somos perfeitos, mas porque vimos cura um no outro para nossas imperfeições. Você me abraça com meus arranhões, eu te beijo com um acumulo das palavras que foram perdidas.

Ainda não é amor, mas se mais um dia amanhecer e conseguirmos permanecer juntos, quem sabe aconteça. Me recuso a criar expectativas, me prendo a fé. Tente ficar por você e eu ficarei por mim. Basta um raio de sol e isto já é a certeza que não precisamos.

Você tem o olhar que me paralisa, eu tenho as palavras que te desconfortam. Dou sempre muitas voltas para me confessar.

Quero me apaixonar por você.



Cáh Morandi

5 de abril de 2013

para ele



enquanto ele não me chama
eu não vou responder
para ninguém – 
quero ser para ele,
existir para ele,
ainda que signifique
me negar.

Cáh Morandi

3 de abril de 2013

indescrevo





ainda não sei
te responder
do que mais
vou sentir
saudades

talvez
do (nosso)
futuro


Cáh Morandi

2 de abril de 2013

(in)domada



Você dói em mim. Você me fere. Sinto você arder. Não quero que pare. Também não há cura sem você. Melhor sangrar do que viver sem as marcas de uma grande vida. Pareço calma nesta pele claríssima, mas também escondo as garras por trás de um olhar sereno. Me mostro rasa, mas sei que sou profunda. Sou forte para resistir a tua força. Sou leve para pesar sobre teu corpo. Escolho boas palavras, te desarmo com meus dedos. Os arranhões são também beijos. Abraços são armadilhas. Minha mão em tuas costas desenha meu pedido. Tuas mãos em minha cintura pontuam meu destino. Se te guio com o que pressinto, você altera o futuro. Você tira de mim o grito, eu dou para você também o riso. Entro em ebulição se você se aproxima. Tive que desaprender as manhas da minha fera. Busquei a liberdade para me dar para você.


Cáh Morandi

1 de abril de 2013

repara


acho engraçada a forma que você 
fala das coisas e dos seus planos
como, despercebido, me coloca
em seus sonhos, nesse total
diz-não-diz que me ama
que escapa nas entrelinhas
dos seus gestos e seu olhar

é lindo como você me nega
e me observa sem perceber;
é lindo como você se entrega
e não repara eu me render.



Cáh Morandi

Curta