28 de junho de 2013

Quase nós


Caminho exaustivamente pelos dias, atravesso a agonia da rotina, sacrifico o limite, estendo os horários. Percorro os dias e conto as semanas, agora o tempo é quase pouco. Avisto um bom porto para descansar da viagem, ancoro. Do céu aberto identifico a árvore, o galho e seu ramo, recolherei as asas. A distância do meu colo deitado em teu ombro diminui. O teu cheiro já alerta tua chegada. A realidade se despede para nos dar o sonho. Amarei fortemente, pois a força é meu descanso. Meu corpo ocupará o seu no mesmo lugar do espaço, sem física que nos explique. Juntos nada nos justifica ou questiona, dispensamos as palavras, importa os lábios. Quase estamos em paz.


Cáh Morandi

Curta