13 de maio de 2013

só hoje




Anularia todos os teus amores. Tuas mãos nascem dentro de mim, teus pés conhecem apenas meus caminhos. Você ainda não me ama, não sou um grande amor que existe nos poemas. Sou apenas teu desejo mais discreto, destes que não se revelam num olhar ou num sorriso. Sou apenas uma história que você gostaria de contar, algum dia, alguma noite, em alguma cama, para enciumar alguém. Gosta de mim porque não alimento tua insegurança. Comigo a vida não teria tantos medos ou desvios. Me sentiria mal se pudesse te corresponder com a verdade. Me odeio por permanecer para você. Somos culpados. Para quê enumerar tantas desculpas? Não me ame mesmo. Não encontre em mim o que você procura. Por favor, diga que não sou eu. É madrugada. Está frio. Meu corpo no teu, aquecemos, esqueceremos. Se amanhecer iremos nos perder. 


Cáh Morandi

Nenhum comentário:

Curta