17 de abril de 2013

Confesso que...




Toda minha vida sinto que esperava por alguma coisa. Uma felicidade, um amor, uma grande realização. Você? Você não. Eu não tinha esta ousadia, esta perspicácia. Estou aprendendo a desaprender desde que você chegou. Desaprendendo a ser forte, para cair mais frágil em teu abraço. Desaprendendo a ser independente, para sofrer teu cuidado. Desaprendendo a ser fria, para efervescer no calor dos teus lábios. Desaprendendo a me medir por baixo, porque o seu olhar reflete a mulher que esqueci. Tenho amado o tempo em que você está comigo, me ajudando a reconstruir a esperança no amor. Descanso no som da tua voz. Tua mão em minhas costas é uma rede debaixo da sombra. Gosto de pensar em você quando troco o timbre pelo pensamento. Se não te amo, queria amar. Estou desejando te amar. Oro para que Deus grave as tuas digitais no meu coração. Aprendo contigo a gostar de você. Aprendo com tua paciência, a pressa de te corresponder. Juro que preciso de você. Te dou o direito de desconfiar do meu amor, mas nunca da minha palavra.

Cáh Morandi

Um comentário:

Bell disse...

Maravilhoso!!!

Curta