25 de março de 2012

Amor, não.




Queria poder te encontrar, uns segundos apenas
Ver se o tempo teria conseguido nos vencer,
Eu sinto que nem toda água do mar
Poderia apagar, levar, nossos dias
Nossas alegrias espontâneas
Nossa felicidade que só precisa
De um riso e de um mundo fictício

Sinto sua falta.

Talvez sinta tanta falta que passo
A vida deixando espaços vazios
Na esperança de que você pudesse preenchê-los
Você sabe, eu sou tão boba às vezes
E crio esperanças que serão em vão
Tenho quase certeza, não te verei mais
Não vou nunca mais sentir aquela sensação
De te ver pela primeira vez, a segunda, a vigésima
Não mais, não mais amar com as impossibilidades
Não mais descobrir teus lugares preferidos

Guardo teus poemas escritos da Irlanda,
Embora não saiba o que sou hoje na tua vida,
Quando leio aquelas palavras, posso ainda
Me sentir amada.
Se neva bruscamente em Nova Iorque,
Te imagino na solidão das multidões nos trens,
E os dias passando vagarosamente,
E estou de mãos atadas.


Não quero nada,
Não escrevo essas palavras pedindo amor,
Não me declaro criando qualquer expectativa,
Pois sei que esse tempo não é mais nosso.
Só escrevo para não esquecer quem você foi
Naqueles dias de dezembro,
Escrevo porque preciso regar o lírio
Que você me fez acreditar ser.
Escrevo não porque te amo,
Mas porque ainda gostaria de amar.




Cáh Morandi

23 de março de 2012

variáveis





queria que fosse você
juro que sim
só por causa do seu sorriso
da sua mão me guiando pelas costas
pelos seus gestos tão imprecisos
que eu preciso, preciso agora
será que naquela hora
tudo seria possível?
impossível saber
só o tempo irá dizer
se sim ou não,
mas no talvez
de algo acontecer
posso querer
e pensar amar você.



Cáh Morandi

18 de março de 2012

choro e riso




o infinito que queríamos
ficou no bom do imaginar
quando as coisas nunca serão
não passarão de fragmentos e palavras
jogadas ao vento e um tempo fechado
de qualquer forma, só o fato de lembrar
faz desaguar a chuva que em mim mora
é ainda melhor chorar de saudades
do que rir de tristezas.



Cáh Morandi

5 de março de 2012

Ecos



quando tudo mudar
não pense em se desperar
tudo irá acontecer
exatamente como deve ser
e não há como prever
nossos amanhãs

aproveite esse instante
o que acontece
exatamente agora
é o que ecoa na
eternidade



Cáh Morandi

Curta