8 de novembro de 2012

inesquecível



Sempre sobra alguma coisa, um segundo no tempo, um lapso de memória. Um som, um gesto, uma palavra, um toque, qualquer coisa viva e intensa. Mesmo mínima, mesmo perdida em milhões de anos luz, essa pequena faísca que brilhou e apagou quase que ao mesmo tempo, se eterniza em algum lugar da história. Não morrerá comigo, você se fez inesquecível.

Cáh Morandi 

3 comentários:

Val Santiago disse...

Não pude controlar as lágrimas. Lindo e sensível igual a tudo que já li por aqui. Tenho feito minhas visitas aqui, com a mesma frequência de antes, assim como tenho evitado não trazer nenhuma lembrança à tona quando leio os teus poemas. Eles são tão vivos, tão verdadeiros. Eu sei que os poetas são assim, nem sempre o que escrevem é o que estão sentindo naquele momento, mas um dia sentiram ou, ao menos desejam sentir. Siga escrevendo. Teus escritos já alcançou muitos corações, e um deles foi meu. Por vezes quis encontrar as palavras para descrever o que estava a sentir, e quando não as encontrava em mim, encontrei aqui ♥.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Carine,

O rapaz da gravação foi-se?

;*
Marcos

Daniele Poema disse...

sempre sobram sentimentos que nos fazem seguir.

sempre bom voltar aqui!

beijobeijo.

Curta