26 de outubro de 2012

sobre um amor esquecível


abri minha vida para que viesse
e este convite e ousadia era um pedido
- me ame.
não perceber, repentino, sua instabilidade,
e notar que tudo que você é completa
minha solidão. dois vazios.
seu amor não me intimida.
esperei  você para mudar toda minha vida,
e ganhei tudo que você poderia dar:
nada.

Cáh Morandi


4 comentários:

Patrícia Resplandes disse...

É a realidade de quase toda humanidade. Vazio, nada, falta!

Flá Costa * disse...

Cáh, faz temnpo que não comento e isso é falha minha, mas vivo entrando. Como sempre, delícia de versos...

beijoca

Marcos Satoru Kawanami disse...

Carine,

Este poema está ultra-romântico, geração mal-do-século. Hoje acham que emo é moda, é a moda mais antiga da eternidade.

BjóKawanami

Anônimo disse...

Coomo sempre muito bonito.

Bjos

Curta