18 de setembro de 2012

sobre amor e identidades




Não tenho conseguido me desfazer das tuas digitais
em mim. Em tudo que me olho, te encontro.
Em que parte de mim ainda me possuo ou
será que é só em você que me encontro?
Se não há nós, não sei como, não sei quando
que voltaremos a encontrar nosso próprio rosto
e descobrir nossos velhos gostos de antes
sem nos influenciar pelo tempo que estivemos – juntos.
Volto para casa, mas quando percebo estou na sua rua.
Difícil reacostumar com o nosso próprio endereço.

Um amor é um convite para uma travessia
de quem somos para quem nunca voltaremos a ser.

Cáh Morandi

Um comentário:

Val Santiago disse...

Sinto sua falta em meus dias
Sinto sua falta em minhas noites
Sinto sua falta e a razão disso tudo
É porque te amo.


Curta