25 de julho de 2012

Mãos Cheias





Por favor,
Me diga o que fazer com tudo isso,
Me diga onde colocar as memórias
De uma forma que elas me deixem prosseguir,
Me mostre o jeito de curar essa dor,
Me indique o antídoto ou veneno...
Porque eu não quero mais estar aqui, entende?
Eu não sei pegar tudo que foi nosso nas mãos
E colocar fora, como se nada de bom sobrasse

Não quero voltar, ao contrário,
Estou tentando abrir um novo caminho
Tudo que sonhamos e vivemos não se apagará
Valerá ao menos um riso na ponta dos lábios
Num dia chuvoso e frio de setembro

Não podemos ficar, não podemos retornar...
Vamos tentar dar uma chance ao futuro.
Por favor, me ajude a me despedir,
Ainda que a última coisa que me ensine
seja dizer adeus.

Cáh Morandi

3 comentários:

Val Santiago disse...

"Um raio pode até cair duas vezes no mesmo lugar, mas um amor que foi forte e tão intenso como a morte, não se dá duas vezes na vida." Setembro de 2009 me marcou demais, afinal, parece que os "setembros" da vida, sempre deixam alguém marcado pela mundo a fora!Lindo, como tudo que vc escreve! Parabéns!

Paula Eicke disse...

Simplesmente Perfeito! Parabéns!

Convido vc para conhecer meu cantinho!
http://sobreotemposonhoseoamor.blogspot.com.br/

Paula Eicke disse...

Simplesmente Perfeito! Parabéns!

Convido vc para conhecer meu cantinho!
http://sobreotemposonhoseoamor.blogspot.com.br/

Curta