29 de dezembro de 2011

wheat



perder o olhar pode ser uma poesia
uma nostalgia do futuro
sento e o vento que balança
o trigo com delicadeza
é o mesmo que traz
os temporais
saudades demais
do que nunca
se teve


Cáh Morandi

Curta