3 de fevereiro de 2009

um coração não pode esperar


penso no amor
e uma lembrança antiga
me traz o seu rosto.
Pela urgência do amor
esquecemos de vivê-lo
damos a ele um tempo
que não pode ser dado:
tempo irrecuperável,
intransferível.
Um coração não
pode ficar para outro dia,
outra hora, outra vida.
.
.
(Cáh Morandi)

19 comentários:

Elcy disse...

Quando vc menos espera ele aparece e não espera.

lindo *-*

Beijos.

Marcos Satoru Kawanami disse...

"Pela urgência do amor
esquecemos de vivê-lo"

Excelente paradoxo, foi a figura de retórica da semana!

beijó(K)awanami
:D

Jaque disse...

rsrs... o amor pede urgência!!

Luna Sanchez disse...

Cáh,

Toda a pressa de amar, toda a urgência do amor é compreensível. Mas, talvez, ele chegue, às vezes, de uma forma muito sutil, em comparação à festa que preparamos em nós, para recebê-lo.

Seu blog é encantador, cheio de verdade e delicadeza.

Um beijo,

ℓυηα

Anônimo disse...

Que lindo!
Fico ansiosa e entro quase todos os dias aqui esperando novos poemas. A espera sempre vale a pena: a admiração aumenta e o vício pelo blog também.
Beijo, Cáh!

ricardo disse...

Bjs, estou repassando.

catrose2009 disse...

Ainda bem que você voltou a escrever para nos encantar. Lindo poema, bjos.

Clarinha disse...

Belíssimo poema, estava sentindo falta deles.

Felinea disse...

a urgência deve ser o amar. sem tempo. sem pressa. só amar!

coisa mais linda de poema, cáh :)

saudade de ti, guriazinha.

beijos doces.

Ana Acquesta disse...

É verdade crua e nua..não obedecida, quase nunca nos tempos de agora!
Ana
simplesmenteverso.blogspot.com

Patrick disse...

Olá Cáh! Postei outro poema seu no blog do metro quadrado das artes...depois veja por si mesma...Abraço.

Robson Ribeiro disse...

Belo!

Sempre bom estar aqui...

Beijos!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Eu queria poder fazer versos densos como os teus. Mas, como não tenho teu dom, valho-me da métrica e da rima para que, ao menos, meus versos tenham forma como valor literário.

=D
Marcos

Renata Gimenes disse...

Realmente o amor não pode esperar mas, tem pessoas que acham que sim e acabam perdendo ele.

Vitor Andrade disse...

E há de ficar ali. Quieto. No peito! Batendo no ritmo do momento, mas ali, sempre ali!
Em qualquer vida!

Ego. disse...

Posso estar sendo egoísta... mas vou pedir:
Escrevi!!!

Lindo tudo por aqui, eu não canso de ler, reler, admirar!
Um bj carinhoso poetisa*

Búh. disse...

me identifiquei muito com os versos :

Pela urgência do amor
esquecemos de vivê-lo
damos a ele um tempo
que não pode ser dado

Muito bem sacado.

Patrícia Miranda disse...

Há uma semana refletia sobre o tema: ao ler seu Poema não tive dúvidas...

UM CORAÇÃO NÃO PODE ESPERAR...NÃO O MEU!!!

Usando-me de seu Poema, respeitosamente, busquei recuperar o tempo irrecuperável. Se consegui? Apenas o mesmo dirá...

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Curta