31 de janeiro de 2008

Lembre de lembrar


(Para meu Andrew)


se não tiver nada em que pensar
pense em lembrar naquele jardim
aonde plantamos nossos segredos
lá, aonde nossos amores dão-se as mãos
respiram o leve perfume de brisa
e se pintam de um amarelo sol poente
lembre: que nem toda gente pode ser
um milagre como somos eu e você


[ Cáh Morandi ]

Por causa...



Respiro fundo. Experimento. Re-experimento. O beijo. Nada mais que um beijo. Tremo. Desabo. Desfaleço. Aquele riso trai meu bom senso. Enlouqueço. Me permito. Desatino. E me dou. E me entrego. De corpo. De alma. E de repente. Estou morrendo. Estou vivendo. E se for amor? Se tudo isso foi só um beijo...



[ Cáh Morandi ]

30 de janeiro de 2008

O que a gente é



(2)


A gente nunca é como quer! No fundo é gente um bocado de tudo que a gente já passou, de tudo que a gente já errou e aprendeu. Vai lá, dizer que não sabes quantos tapas que a vida já te deu!? De quanto a gente andou com calma, e quantos dias o tempo correu! Eu sei que sou hoje as decisões que tive que tomar a muito tempo atrás: entre fazer ou não, entre ir ou ficar, entre ter medo ou arriscar, entre viver ou ficar a sonhar. Também sou os conselhos que ganhei, os dias em que sentei e chorei, os amores que me deixaram... e principalmente os amores que deixei. Meu coração tem muito dos dias de chuva em que me molhei, tem lugares que passei, tem os sonhos que nunca realizei. Por um instante gostaria de ser quem eu realmente gostaria, e acho que todo mundo gostaria de poder ser assim também, mas depois eu vejo que podem achar ser loucura, pois ninguém tem tanta gana de viver tanto! Que ser humano, em sã consciência, viveria tudo que imagina ? É triste, como a grande maioria das verdades. E a verdade que é bonita, parece ser esquisita nesse mundão a fora. Todo mundo anda olhando pro lado, mas vez em quando eu ouso ir olhando pro céu. Catando nuvens. Desenhando figuras. Procurando Deus.



( Cáh Morandi )

29 de janeiro de 2008

*




de novo vai acabar o dia
e me entristece sempre a mesma coisa:
as horas que não me comportam,
minha mania de ser maior que o tempo.





[ Cáh Morandi ]

Assim te trago



Como o mar sustenta a grandeza do céu,
Suas estrelas, seus sóis e seus tons;
Como a flor da primavera nas mãos
Pequenas e delicadas de uma criança;
Como a brasa queimando ardente
Absorvendo o calor, entregando-se em chamas;
Como todas as coisas que podem ser
Levíssimas e instantaneamente eternas...
Como todas as delicadezas existentes
Que mudam, tocam e transformam...
Como toda chuva que germina a terra
E se banha em sua própria água.
Assim eu te seguro, assim eu te trago,
Dessa forma que te amo...
Como se permanecesse ligada a teus lábios
Pelo mel corrosivo de meus lábios;
Como estivesse morando em teus olhos
Na estrutura inconstante de meus olhos;
Como se segurasse o teu coração
Entre as mãos do meu coração.



[ Cáh Morandi ]



A vida podia ser apenas estar sentado na erva, segurar um malmequer e não lhe arrancar as pétalas, por serem já sabidas as respostas, ou por serem estas de tão pouca importância, que descobri-las não valeria a vida de uma flor.



(José Saramago)

28 de janeiro de 2008

Um corpo só



No frio durmo abraçada
as tuas lembranças

camisola saudosa
colorida do teu cheiro

lençóis úmidos
dos teus beijos

cobrindo-me
das palavras
que ficaram no tempo
onde estivemos

fico mergulhada na cama
de estrelas cadentes pratas
onde por falha do amor
um corpo sonha só.




[ Cáh Morandi ]


Brinquedo de coração




Me entregar de novo para aquele “amor” seria como andar na montanha russa sem cintos e de cabelo soltos, e isso não era bom para mim. Nunca gostei de coisas que arriscassem muito a vida, mas sempre tive gana de por meu coração a prova. Exitei. Petrifiquei. Fiquei lá em baixo vendo a montanha russa se agitar sozinha, e foi bom ter ficado. Foi bom ter resistido. Era minha volta da insanidade. E num momento em que a loucura parece ter ficado como algo doce, desviei meu olhar... e a roda gigante rodava com sua imensa saia de todas as cores. Meu coração estava em risco de novo.



[ Cáh Morandi ]

24 de janeiro de 2008

(Presente) : Para Cáh



... todas as doçuras,
bebemos nos lábios de Cah.


Todas as levezas,
sentimos e amamos
nos gestos e palavras
compostos em poemas
nas horas de Cah.


*( Raimundo Lonato )*

23 de janeiro de 2008

Descompasso



Ontem eu caminhei até o farol
Um pedaço de terra e eu no meio do mar;
Sentei nas pedras, abracei o vento;
Dois goles de maresia, pedaços de vida,
Nuvens claras em forma de coração.
Por um instante o farol ficou sozinho
Não estive ali e levei o mar comigo,
Não sei ao certo aonde estive;
É como todas as coisas que se parecem
Com algum tipo de magia ou feitiço;
Como todas as coisas que seguem um ritmo
E por um segundo se aceleram e descompassam.



[ Cáh Morandi ]

22 de janeiro de 2008

Mais uma vez uma boa surpresa! A pequena e querida Carol, indicou esse selo para o meu blog!! E que maravilha saber que pessoas que mesmo não conheço passam por aqui para dar uma olhadinha nesses meus desvaneios e loucuras com as palavras! Tenho que indicar 5 blogs, e os indicarei com todo meu coraçãö:

1. Dilean de Bragança
[ http://gozosdalma.blogspot.com/ ]

2. Cris
[http://precisotantoaproveitarvoce.zip.net/ ]

3. Andrew
[http://themesanddiscourse.blogspot.com/]

4.Miro
[http://www.mmartinsjunior.blogspot.com/ ]

5. Deborah
[ http://www.spanishmalagueta.blogspot.com/ ]



Obrigado aos meus leitores, que se lêem meus escritos,
são tão loucos quanto eu!

*

Fake Night



Sempre que você dorme
eu fico observando seu sono
(quem será que te pintou?)
(quem te modelou com as próprias mãos?)
Faço meus sonhos
enquanto deslizo as mãos
entre os pêlos de teu peito
(sonho do meu sonho, meu amor)
Fico quieta, quase imóvel,
(que quase nem respiro)
Para escutar o seu coração
batendo com calma
(eu procuro escutar meu nome)
(eu me procuro em algum lugar de você)

Não gosto das noites em que me sinto
do lado de fora do teu corpo
(e tão longe de tua alma)
Não gosto das noites....
Não gosto das noites que sinto...
(Não sei quanto tempo amei você
ou se ainda continuo amando)

Sou muito avessa ao que costuma ser perfeito.



- Cáh Morandi -

18 de janeiro de 2008

Confissão íntima




Lembra daquela vez que você fez um truque com suas mãos? Riamos sem parar e você quase me deixava sem ar quando me fazia cócegas na barriga. Colocava o seu corpo em cima do meu, me deixando imóvel. Depois eu fiquei na cama e você fez poses com sua cueca vermelha. Você me fazia sorrir como ninguém.... Você me fazia feliz mesmo quando não estava por perto. Hoje quando te procurei entre muitas das nossas coisas, reparei que você havia se perdido.


[ Cáh Morandi ]

Pare!


Pare a canção
Somente essa
Manhã


Dormi a vida
Toda,
Quando despertei
Já estava cansada



[ Cáh Morandi ]

17 de janeiro de 2008

Mínimas



1.
Sua face
Isso é tudo que eu vejo agora
(é tudo que desejo agora)
Me encontrar
Doce entre seus lábios
Onde gotas de chuva
(gotas feitas de mel)
Procuram ficar...


2.
Acordei
E o mundo estava desabando
( é assim tem mais de vinte anos)
Meus olhos são a janela da poesia
Pouca poesia dentro de mim
Nada muito bem,
Enquanto acordo,
Alguém que amo dorme
Do outro lado de um outro mundo
(será que o mundo dele desaba?)


3.
Me perguntei
Quais as coisas que fazem o verão?
O calor, o mar, as cores...
Cada pessoa, um universo diferente
Quais as coisas que te fazem importante
Além de tudo que você é, faz ou diz?
(Um mistério por trás de uma partícula de vento)
São as pequenas mudanças que nos engrandecem
(todas os pequenos beijos que fazem um amor eterno)
O passado é sempre bem mais do que somente lembranças


- Cáh Morandi -

16 de janeiro de 2008

Bonito


Reparei que seus cabelos mudavam de cor
conforme a posição do sol;
eram quase todas as cores de um
arco-íris que eu sonhava quando menina;
a luz sumia e aparecia inúmeras vezes
entre os vãos que o vento fazia;
percebi um dia, que o mundo
é mais bonito quando entardece,
principalmente quando o céu
fica amarelo e vai desaparecendo
no azul... até que de cansaço
a noite aparece cheia de graça


sim, meu querido,
essa é minha imagem mais
bonita do mundo
(o entardecer....)


estranho,
tudo fica mais bonito
quando está perto de morrer.
(até o dia, até o amor)


[ Cáh Morandi ]

14 de janeiro de 2008

Diálogo 11



- Meu amor, eu preciso te contar um segredo:
eu não sei voar...
- Então tenho que ir embora!Porque chegará
um tempo em que eu vou querer sonhar
muito alto e desprender meus pés do chão e estarás sozinho novamente.
- Não! Eu vou aprender a voar, eu prometo.


[Cáh Morandi]

13 de janeiro de 2008

Gotas



tudo que deve cair
só deve ser chuva
nada além...


nada além...
do que eu
desabando
em

g
o
t
a
s


[ Cáh Morandi ]

12 de janeiro de 2008

Ao Mar*


Não vejo com esses teus olhos tão claros de mar,
quem sou eu?
se não um grão de areia no vento;
se não o vento... sem coisa alguma...
Que semblante tenho eu?
De lua em fase nua;
Sem fase na vida tua...
Dizes, sou gosto de saudade,
E é como se deitasse no colo
de tuas mais guardadas lembranças...
(Sou as horas... que se perdem no tempo)
Meu mundo encantador?
Leva-me até ele, dá-me tua mão,
e teus segredos e teus medos
para que eu os desarme, para que eu
os cale dentro de uma poesia infinita...
Minha existência obscura
refletida na água pura do rio da vida...


Sou eu, entre as muitos feridas,
florida, flor... no outono de mim,
na beleza que só em tua retina,
sou eu, menina...
Um mal, um bem... me quer*


[Cáh Morandi]

11 de janeiro de 2008

Para seu aniversário


(Para meu Andrew)



Hoje é o dia mais lindo de todo o ano
porque o mundo te celebra...
O sol te brinda, o mar brinca
e o céu tem mais azul do que o comum!
Só hoje a paz quer dominar tudo
para que nada te abale ou perturbe...
Só hoje o entardecer vai demorar
para que o dia seja mais longo...
Meu presente está embrulhado
em beijos e abraços sem medida,
Meu presente é para toda vida...
Meu presente é o meu amor
(que sempre será seu...)
(que sempre estará a tua espera...)
(que nos levará num tempo eterno...)

Hoje, meu querido, meu amor,
meu pequeno, meu coração,
é teu aniversário...
Hoje não desperdice o tempo,
porque esse dia é apenas teu.



(Obrigada, é seu aniversário,
mas na verdade, você é meu presente)



Cáh Morandi

10 de janeiro de 2008

Nomes




Quando eu tinha 5 anos, em todos os domingos, ajudava meu pai lavar o carro na grama de nosso jardim. Eu adorava meu maiô amarelo limão que minha mãe me vestia para essa ocasião. Era muito divertido. Mas tudo que é bonito e bom costuma ir embora. Não entendo porque todos esses “milagres” mudam de nome... Que hoje só posso chamá-los de [saudade!].


[ Cáh Morandi ]

Nunca... nunca...


"if this should be, i say if this should be--
you of my heart, send me a little word;"

(E E Cummings)


É cedo para dizer as coisas que
Dentro de mim ficam me torturando
E desabando em suas pequenas,
Mas continuas explosões.
Quando ele ri na hora
Que nossos corpos estão
Se amando, é tudo tão perto
De ser perfeito...
(eu amo os seus lábios, querido)
Eu ousei pensar, por tantas vezes,
Se seu coração estivesse comigo...
Eu desejei seu corpo se desenhando
Nos movimentos de minhas mãos...
Nunca, nunca... você jamais...
Seria meu, daquela forma...
Onde só podemos amar
Uma única pessoa por vez.


[ Cáh Morandi ]

Fragmentos (...)




Depois das duas da manhã já não consigo me entender. No quarto de paredes brancas flutuam meus sentimentos, minhas cores, meus sons, minhas memórias, minhas vontades, meus segredos. Nada, nenhuma imagem ali formada nisso tudo... deitada, largada entre os lençóis, solta dentro de uma camisa. O mar quebrando, a brisa batendo em minha janela e uma voz cantando que sou um pedaço de solidão dentro do mundo.(Do meu mundo). Eu me sinto como se não fosse parte de ninguém... e em todas as coisas que entendo (e que não entendo), eu sou a única que tenho um amor que não posso tocar...


[ Cáh Morandi ]

9 de janeiro de 2008

Poema





Eu gosto do seu corpo
Eu gosto do que ele faz
Eu gosto de como ele faz
Eu gosto de sentir as formas do seu corpo
Dos seus ossos
E de sentir o tremor firme e doce
De quando lhe beijo
E volto a beijar
E volto a beijar
E volto a beijar



E. E. Cummings

7 de janeiro de 2008

Sentimento de amizade



Eu nunca soube falar muito bem de amizade, eu penso que ainda não aprendi muito a fundo o valor que tem dentro dessa palavra. Alguns especialistas dizem que ele é fundamental na vida das pessoas, tanto que até os melhores familiares são aqueles que dizemos que além de tudo são nossos amigos. Vinicius de Moraes disse que poderia perder muitos amores, mas perder um amigo isso é muito mais difícil de suportar. Eu tenho uma conhecida, Lica, que me disse algo que conseguiu me parar para pensar sobre esse dom de se ser um amigo: “ Só a amizade vence o tempo...”. E é verdade querida, somente ela é capaz de fazer parar o tempo dentro de um sentimento que se chama cumplicidade. Que pode também nos transportar a um momento em que sempre estaremos juntos. Para os amigos não há hora, não há dia, não há situação... e por isso que amizade se torna mais importante que o amor. Porque com o namorado, marido, companheiro a gente marca hora, marca dia... Mas um amigo a gente recebe sem previsão alguma, encontra numa esquina da rua e isso não há nada que compre, que substitua...

Com o passar dos anos, os amigos serão os únicos que nos lembrarão bem e serão capazes de nos a dar algum vestígio de quem um dia fomos e quem estamos nos tornando. Amigos sabem mais dos nossos segredos do que nossos amores. Amigos não se importam se dormimos com camisolas engraçadas ou se nossos cabelos acordam alvoroçados de manhã. Amigo só quer nos ver de um jeito e estejamos bem.

Essa “coisa” de amizade é algo que está no coração, mas não nesse coração aqui, do lado esquerdo do peito do corpo da gente. Amizade fica no meio do coração da nossa alma.


[ Cáh Morandi ]

Farsa




Nada real
No mundo novo


Onde até falsas luzes
(essas não-estrelas)
Querem colorir a noite.


Mas o brilho é fosco
Nada era tão brilhante
Quando ao menos o céu
Era algo de verdade.


[ Cáh Morandi ]

6 de janeiro de 2008

Teste do amor



Quando quiser saber se alguém está mentindo, tenho um teste infalível: Pergunte a essa pessoa o que ela pense em relação ao amor. Se ela não disser nenhuma palavra a respeito ou disser que desconhece sobre o assunto, então ela é uma pessoa mentirosa. Porque todos já sofremos por amor, vivemos por um amor ou ao menos temos expectativas sobre ele.


[ Cáh Morandi ]

A falta da palavra

Estávamos caminhando juntos, e ele me perguntou:
- Quando alguém ri é porque é feliz?
- Não... não necessariamente. Estar rindo é diferente
de ser feliz. Ser feliz não pode ser isso, não pode ser tão breve...
Felicidade só acontece se o riso for constante.
- Então o mundo é triste!
- Também não... Deve haver alguma palavra para
esses momentos pequenos de risos... Mas felicidade não é...

E fiquei pensando:
“Deve haver alguma palavra, deve haver...”


[ Cáh Morandi ]

4 de janeiro de 2008

Minha melhor roupa



Fico na dúvida entre as roupas:
O vestido preto ou o florido?
Saia, calça, que tal espartilho?
Camisete branco ou bata verde?
Salto alto, médio ou tênis?
E o que faço no cabelo,
Coque, solto ou prendo?
Por fim tento me acalmar
pois se isso tudo é para ser tua, sabes
que nua é o que melhor me cai bem.

[ Cáh Morandi ]

2 de janeiro de 2008

Feche...



Experimente, meu coração,
feche seus olhos em alguma manhã
você poderá imaginar (sentir) tudo
(tudo que realmente desejar...)
respire o aroma do café fresco
que se prende a minha camisola vermelha
estenda suas mãos sobre a mesa
(toque minhas mãos novamente)
alinhe seu terno mal passado,
entre no carro e siga o seu caminho
(quanta distância pode haver?)
então você vai duvidar em ligar o som
vai, talvez, sorrir ao me lembrar
passando todas as estações da rádio
nunca satisfeita até desligar...
você fará o trajeto em silêncio
era como eu ficava... olhando
pela janela o mundo infinito
com uma das mãos em tuas pernas...
e nessas horas tudo ficará vago
porque estarei longe do teu corpo
(a falta vai doer, meu querido)
e você nunca... nunca...
nunca desejará tanto
fechar seus olhos, meu amor.


[ Cáh Morandi ]

Mais do que um segredo



Quando estiver terminando o verão
Quero ver o pôr-do-sol desaparecer
Dentro dos teus olhos de calmaria
E ser para ti, no fim desse dia,
Parte das coisas que escondes
De mim, de todos e até Deus,
Mais profundas que um segredo;
E voltando pela praia que escurece
Virei cantando, baixinho,
Quase como uma prece:
O dono de meus olhos
Tem os olhos onde o sol
Gosta de morrer.


[ Cáh Morandi ]

Soneto do Teu Corpo





Juro beijar teu corpo sem descanso
Como quem sai sem rumo prá viagem.
Vou te cruzar sem mapa nem bagagem,
Quero inventar a estrada enquanto avanço.

Beijo teus pés, me perco entre teus dedos.
Luzes ao norte, pernas são estradas
Onde meus lábios correm a madrugada
Pra de manhã chegar aos teus segredos.

Como em teus bosques. bebo nos teus rios.
Entre teus montes, vales escondidos.
Faço fogueiras, choro, canto e danço.

Línguas de lua varrem tua nuca.
Línguas de sol percorrem tuas ruas.
Juro beijar teu corpo sem descanso


[ Leoni / Moska ]

1 de janeiro de 2008

Construção


Vou construir um pedaço de mundo
Bem lá no mais fundo de mim,
Onde meus sonhos poderão viver
Na paz e tamanho que merecem.

[ Cáh Morandi ]

Curta