7 de outubro de 2008

Para dias sem esperança



Eu que já não tinha coração
Não tinha olhos de atenção
Nem mãos procurando par
Não tinha nada além da madrugada
Além da certeza exata:
Nunca mais amar.

Quem diria, quem apostaria
No que custo acreditar?
Eu que já não tinha vida
Não tinha casa e nem lar
Eu que caminhava perdida
Cheia de ferida antiga
Que esperança tinha
De sentir o que agora sinto
De não saber nem o que digo
Assim que você acordar...

(Cáh Morandi)

4 comentários:

cat excavator disse...

wow, very special, i like it.

Robson Ribeiro disse...

Cáh!

Lindo!

Sinto que um dia poderemos escrever um poema em parceria. O que você acha?

Estou adorando poder ler sempre novos textos aqui...

Beijos!

Águila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Águila disse...

Cáh...Simplesmente amei!...

Curta