12 de setembro de 2008

12th September


Cai uma chuva gelada por trás da vidraça. Os dedos dos pés impacientes dentro da meia de lã, as mãos se aquecendo com a xícara de café, os lábios sendo mordiscados com os dentes, um pijama velho, um moletom jogado em cima, os cabelos bem amarrados, os olhos pequenos e perdidos acompanhando o desenho que água faz no vidro da janela.Não me importo em estar assim despojada, só quero me sentir o máximo bem que puder, embora seja improvável isso acontecer em uma noite de sexta, quando o fim de semana chega e você não tem ninguém. Ninguém que vá te abraçar enquanto a chuva cai lá fora. Ninguém que vá acalmar a tempestade que acontece dentro de você. Ninguém que vá te dar a mão quando você tem tanto receio de estar sozinha. Ninguém que ficaria ali, de graça, deitado ao teu lado escutando os trovões. Por um instante você pensa que isso é tão triste, que isso pode ser tão miserável e o amor parece ser uma esmola que você pede em troca de um sorriso, por mais falso que isso pareça. Frágil, o barulho da chuva viola o silêncio do pensamento, da lembrança, da doce ignorância em planejar o futuro. Você tem medo, porque você vê que tem tanta lágrima por dentro, escondida, calada, tímida e um dia chuvoso e frio é tão pouco comparado a tudo que você esconde atrás de um rosto discretamente limpo e doce.




Cáh Morandi

12 comentários:

Anônimo disse...

Sem palavras, Cáh. Sabes como transcrever os sentimentos de forma concisa, delicada e de uma forma tão suave que no final notamos que adquirimos um certo "conhecimento" sobre um sentimento que, talvez, jamais sentimos...

Parabéns.

Vitor Andrade disse...

Cah! uma amiga minha achou seu blog e me mandou! estou simplesmente fascinado!
parabens pelo seu talento!

Patrick disse...

Olá...com toda licença poética: furtei um poema seu e coloquei no meu blog. Dá uma passadinha lá pra você ver como ficou!

P.S: Você foi literariamente roubada! Mas se desejar, eu devolvo. Prometo. Abraços.

Anônimo disse...

Cah...você coloca em palavras sentimentos que nem ao menos conseguimos descrever
as sensações...experiências

Parabéns
:D

Carla Arend disse...

que bonito o blog. bonito mesmo.

=)

Carla Arend disse...

que bonito o blog. bonito mesmo.

=)

Spanish Eyes disse...

Lindo e verídico, simplesmente real, como sempre.

Beijão!

Violeta disse...

Frágil e lindo
.
Muito bom aqui
=)

lyani disse...

Lindo, doce, frágil, como a chuva gelada por trás da vidraça.
Sim, quanto há por trás de um sorriso, por trás de um rosto limpo. Isso me lembrou Caio F.:

"Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo, e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos, dos choros."

Bjos,
Ly

Vinícius M. B. Rodrigues disse...

Oi, publiquei um texto seu em meu blog (em parceria com Micaela). Segue o link: http://recantotaciturno.blogspot.com/.

Gostei muito dos seus versos. São muito bons, e por esse motivo postei-os.

Parabéns, espero que goste do nosso singelo espaço também.

Vinícius

mylene disse...

Com razão...
Quantas coisas escondemos atrás de nossos rostos...
Beijos

luizzzroberto disse...

tudo é um só carinho
mesclando a doçura e a força
as palavras abrem-se como paisagens
daí fácil dizer, que até suas virgulas nos acolhem e
nos aconhegam...


luuu(i)zzzz

Curta