14 de agosto de 2008

Casa Abandonada


É que agora – aqui dentro – a casa foi ficando meio empoeirada, como se toda essa mobília sentimental não tivesse sendo mais usada, a janela foi deixada aberta e tanto vento foi passando, levando as cores dos retratos e deixando o pó como ressarcimento.Aqui em casa não tem mais conforto, tudo virou incômodo, e às vezes nem em casa eu me sinto. Não tem mais abraço, não tem mais teto para pintar de sonhos toda a noite, nem tapete colorido para deitar no domingo. Tudo daqui foi sumindo, não tem mais ninguém nessa casa, só um eco se espalha quando eu volto e os passos ficam rangendo o assoalho, e fica uma sensação estranha de ver cinza onde tudo foi festa e euforia. Na porta de entrada eu sempre pedia um beijo, até que um dia o beijo foi de despedida.



(Cáh Morandi)

9 comentários:

Brisa Dalilla disse...

Pronto. Já virei fã...
E olha que nem vi o resto dos arquivos ainda...

:D

Parabéns. Vc arrasa!

.natha disse...

"ainda tem você na sala."

me lembrou essa música. ;)

adorei, Cáh.

beijo grande ;* e parabéns outra vez...
pelo aniversário (que ja passou) e pelo trabalho.
continue alegrando

"... ama a vida, e segue!"

Anônimo disse...

Triste e lindo...
Esse seu jeito simples de dizer coisas tão profundas, encanta.
Beijos e luz sempre, querida.
Marcia

nina disse...

Muito profundo...com certeza já vivenciei essas palavras
Gi

Giovanna disse...

Muito bom o texto... Me sinto assim às vezes, como se estivesse voltando a um lugar que antes era bom, mas que no fim só encontro cinzas e lembranças.

Parabéns pelos textos e pelo blog! ;*

Lyani disse...

Nossa, que vergonha!
Se eu tivesse rolado a barra um pouquinho mais teria visto que o texto é seu mesmo...rs
Pergunto, pq fico meio assim com essas coisas de internet... principalmente o Pensador, eu sempre procuro confirmar... mas esse seu texto é simplesmente magnífico!
Posso publicá-lo em meu blog com seus créditos?
bjos

Fallence disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fallence disse...

oi moça ^^

sou seu novo fã e pode ir se acostumando com a minha presença aki comentando e te enchendo ok xD

esse texto, eh, como posso dizer, foi...

foi tipo orgasmo, a gente sente indo, mais só nota que foi quando terminou e a gente olha atordoado... e da aquele friosinho na barriga, e ai a gente sorri, e le denovo, e vem a mesma sensação... ai a gente vai pro proximo por obrigação, mais a vontade era de viver naquelas palavras... porque poema bom é assim... aquele que foi sabe ^^

bju

A Beleza de ser um eterno Aprendiz disse...

Muito lindo esse poema, amei!!!!!!!!!!

Curta