8 de julho de 2008

Sem face




Abre os braços
Me recebe desmoronando,
Desfalecendo;
Me aperte contra teu corpo
E olhe nos meus olhos se apagando;
Contempla em mim
Essa coisa inacabada que sou
Essa beleza que não tenho
Essa frieza que não quero
Esse desespero em desabar;
Me abrace, me aceite
Sobre tuas pernas
Ainda que eu seja
Essa mulher sem face;
Me enlace, me afunde
Nesse gozo que surge
Ainda que eu pareça
Essa fera sem nome


(Cáh Morandi)

4 comentários:

Diana Borges disse...

... inacabada acabada
Menina, que lindo teor poético
Surpreende-me a cada novo poema.

Anônimo disse...

Parabéns! Belíssimos poemas...
Um abraço apertado de uma nova leitora. :)

xis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiago disse...

SENTIMENTO

Sem face,
Mas com talento..
face não vem ao caso
nem ao momento...
Aliás nunca veio,
Acordei prá ver sentimento
E vi em seus olhos,
Seu sorriso e poesia
encheu de alegria meu coração
Carine Morandi...Vc não existe!

(Thiago do Vale)

Curta