6 de julho de 2008

O inesperado




Não há mais nada para acontecer
Nada que não seja previsto
Nada que possa surpreender
Não espanta flores nascendo nas calçadas
Não apavora estrelas novas sendo penduradas
Nem o corpo vencendo a física
Nem o cego lendo mímica
Nem a ciência na sua vã experiência e sua cara de
reticências nas coisas que o amor pode fazer...
O mais impossível era esse encontro
Entre tantos desencontros,
Entre tudo que não tinha nada a ver,
Só tinha que ser você para ser inesperado
E agora que venha o que vier
Porque de resto nada além,
Agora o que vem já é esperado




(Cáh Morandi)

2 comentários:

Diana Borges disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diana Borges disse...

.. pouquissimas coisas, ou quase nada surpreende-nos.


. muito bom!

Curta