5 de junho de 2008

Eterno segundo



a eternidade não passa disso:
desse pequeno momento
em que pisco os olhos
e de repente te observo;
e toda vida está ali
exatamente intocável,
pronta a nascer ou morrer
diante de um “sempre”
que sobrevive um segundo



(Cáh Morandi)

2 comentários:

Danielle disse...

Oi Cáh!
Lendo vc, parecia que eu lia minha alma! Nossa! Muito profundo!
Você não enfeita! Escreve!
Linkei seu blog pra sempre voltar aqui tá!
Bjos no seu coração!
Paz e Poesia pra vc!

Efêmero Delírio disse...

Adoro visitas furtivas no seu blog, me trazem boas lembranças que me aguçam os sentidos, aromas e sabores, cores e texturas de lugares e momentos que não são meus, pelo menos não neste momento.
Obrigado por este presente, por sua sensibilidade, por me tocar e ser tocada.
Sorte,

Curta