1 de maio de 2008

Se ele me tremesse


Se ele chegasse e me tremesse
feito um terremoto, e me arranhasse,
me deitasse e devorasse
feito um bicho solto;
se me descobrisse pelos pêlos,
me segurasse pelos cabelos e
se cometesse esse desejo
incontido e louco;


(Cáh Morandi)

Um comentário:

Kaiser Soze disse...

gosto de vestidos rodados de tecido fino, daqueles que ficam uns 4 dedos abaixo do joelho.

gosto da forma como esses vestidos tocam a pele sem lhe retirar a leveza, não acentuam mas também não escondem.
gosto da naturalidade como a anca se move de um lado pro outro, tocando um lado e o outo do vestido.
gosto como as alças tapam o mínimo possível dos ombros e não roubam a preciosidade do colo de uma mulher.

não precisam ser sofisticados, na verdade não são.
não pedem tinta no rosto nem nos lábios.
dispensam pose e pedem sorriso.

gosto desses vestidos como gosto das minhas mulheres,
leves, soltas, naturais e com defeitos.
gosto desses vestidos como gosto das pernas delas,
suaves ao toque e com liberdade pra me envolverem.
gosto desses vestidos como gosto do dia a dia,
que não me aperta mas que também não me deixa ir embora.

a única coisa que gosto mais do que o vestido é do vestido em vc.

Curta