15 de abril de 2008

Sem poesia




Leve noite, sentados na varanda
E a vida é tão de repente
Como um beijo não esperado
Calmo e doce, tudo vem chegando
As nuvens, as estrelas cintilantes
Algumas delas confundidas com astros errantes
O vinho nos enternece e nos eleva
E ajuda nossos sentimentos voarem
Pela imensidão do universo
Vigora um riso a cada verso
A música toca, o ritmo nos vibra
E não há rima, não há poesia
Nessa paisagem de eterna fotografia



(Antonio Seixas e Cáh Morandi)

2 comentários:

Anônimo disse...

Me parece que você está vivendo uma outra fase...mas seus poemas continuam lindos e intensos.
Marcia

Anônimo disse...

Srta Morandi o dia que quiseres um escravo para ti: eis-me aqui... impossivel não emocionar se te ler... impossivel não te desejar e querer...

R.

Curta