22 de abril de 2008

Castelos de Areia



Cortinas de primavera encobrem a janela
que nela veja flores pois que o outono chega
Ao meu redor, tudo é teu nome
e a estação passa tão lenta

Giro no mundo, em tudo eu te vejo
as pétalas que viste ao caminho comigo
Tem o mesmo teor da tua face
Teu beijo...

Há tanto de ti que ainda desejo
e a minha alma suave te quer plenamente
como os sonhos que resistiram ao tempo
cujos passos jamais prescrevem

O que restou do tal paraíso
dos anjos nossos tão belos?
Das longas tardes de risos,
das mãos que em laços se deram?

Os passos se confundem no caminho
são trôpegos ditos de promessas feitas
Os planos são castelos de areia
ilusão de miragem que a paixão alimenta

Cada dia é um dia que espero tua volta
Cada instante mais frio arrefece-me a calma
Dessa alma minha que só sabe ser tua
Desse corpo meu que suspira tua boca
Nessa falta que fazes, gritante e tão louca


Cah Morandi & Serginho Reis

Um comentário:

Fabio disse...

Oi... que linda essa poesia desses dois queridos e talentosos amigos.... Um beijo pra Cáh e um abraço pro Serginho...

Curta