14 de abril de 2008

C(alma)




Eu bebo para dissolver na alma
Pra ver se ele esquece e acalma
Essas tantas ondas dentro de mim
Diluir-se no corpo esvaecido de pecado
A pureza cristalina que pode apetecer
Desejo que esteja próximo de acontecer
Essa ventania que não dá de entender
Que leva o coração a qualquer destino
E que foge ao controle das mãos
Pouca coisa que há nessa minha imensidão
E que ainda não encontrou o seu lugar


(Cáh Morandi)

Tietê/SP
13.04.2008

Nenhum comentário:

Curta