18 de março de 2008

O amor se apaga


1.
me lembro que eu escrevia
sobre a dor de um outro amor
você leu, se apaixonou
por muito tempo eu não quis
provar do amor novamente;
e você tomou meu coração
com tuas mãos cansadas
num ato de ultima esperança;
eu deixei me levar
fui encontrar com teu
abraço faltoso e insone;
senti que você me amou
(ao menos tentou);


2.
o tempo sempre sufoca e
desacelera os grandes amores,
até aqueles que se juravam eternos;
não seria diferente com a gente
porque eu não sei na sua cidade,
mas aqui tem chovido todos os dias
e eu estou triste de novo
como era antes desse encontro;
na verdade, eu acho que hoje
sou bem mais triste,
pois é uma dor em cima
de outra dor;
e eu vejo que estou deixando
minha vida cheia de feridas abertas;
meu querido, eu estou sangrando;

3.
nunca mais pense absurdos,
não quero presentes caros comprados
(eu quero amor antes do café da manhã)
começo a perder a fé, as forças,
o mundo explode a cada segundo
e o céu desaba em minha cabeça;
eu não sei por qual caminho
você tem escolhido seguir,
mas sinto nossas mãos se
distanciando mais e mais;
não grite, não fale,
não minta sobre as coisas
que você não pode sentir;

não acredite nesse sentimento
que você não tem por mim.



( Cáh Morandi)



Nenhum comentário:

Curta