27 de março de 2008

Das insignificâncias da vida




Bastava o perfume que os cabelos deixavam nos travesseiros
E aquele beijo trocado em plena tarde de uma segunda feira agitada
Bastava aquela conversa sobre um assunto sem nexo no café da manhã
E as gargalhadas do ser amado vendo TV em plena madrugada
Bastava estarem abraçados e ainda deitados num dia preguiçoso
E implicarem antes de um passeio por causa de uma saia minúscula
Bastava mesmo que fosse uma briguinha antes de começar o dia
E você ficar pensando o dia todo em alguma forma de reconciliação
Bastava que ele chegasse, mesmo esquecendo das compras da semana
E que ela te perguntasse a cada minuto se você a amava


(...)São nessas pequenas horas que se descobre ter sido feliz,
Mas isso é coisa que demora uma vida toda para se perceber



( Cáh Morandi )

.
.

3 comentários:

Henrique disse...

ai que lindo, e ai que tédio de estar sozinho! ahuahuahauhauhauhauhau vou parar de vir aqui, ainda mais depois de uma semana de tormentas amorosas! Comecei a escrever no início de um relacionamento e continuei com o seu fim... o único poema bom foi o priemiro, o resto foi o amargor da despedida! buá buá buá buá... Lindo, lindo descreve sentimento belíssimos! Pena que nem todo mundo pensa assim... Ou pena que muita gente finge e exigem ser assim... ó vida

Anônimo disse...

Belissima, quanto mais te leio mais que eu quero viver a vida dessa forma que escreves Cada vez q
eu leio um poema seu tenho uma vontade imensa de estar dentro deles e fazendo parte das palavras.. novamente digo que voe corre perigo em nos deixr todos apaixnados por esse mundo que é voce

Cáh Morandi disse...

Oi queridos....
tédio pode durar por um tempo... encontre um amor para sempre e etará tudo resolvido!

rs...

fácil né?

E "Anonimo", não se apaixone....
Sou chata, feia, irritante.. acredite! haha!

Beijos!

Curta