9 de fevereiro de 2008

Um poema para {tierra}




... e então quando vens?
para ver o sol nascer doce
e morrer salgado de tanto mar?
quando vens mergulhar nas
lembranças do tempo...
esse tempo que insiste em passar?
quando vens trazer um pouco do mundo
aqui onde nem as horas passam?
Aqui os dias se estendem dourados
sob o azul claro do céu...
... as ondas batem calmas,
quebrando o silêncio que é só meu...
em tudo é fácil de ver uma poesia...
[em.tudo.há.poesia]
[em.tudo.brota.poesia]


hoje o mar não quis revelar-me nada
enquanto pensei em ti e entardecia...
como despertas essa saudade
[e.todos.os.meus.segredos?]
como me fazes falta mesmo
que só para estar ao meu
lado em silêncio?
que dom é esse, meu poeta,
capaz de acordar milagres...
tenho saudades, tenho vontades...
{então.te.espero}




Cáh Morandi

Nenhum comentário:

Curta