27 de fevereiro de 2008

Por um triz



Andas por entre os astros
mil pedaços, me desfaço
enquanto não encontras
um caminho certo;
já passam das onze
você não chegará
a tempo de um beijo
que me faça dormir;
não virás a tempo de meus
sonhos...
não virás a tempo da vida
que te proponho...
me apalpas no escuro
frias mãos da madrugada
quantas estações
que não vês
o meu sorriso desajeitado;
quantos planos
inacabados
no canto do quarto;

desde quando
nos tornamos estranhos?
desde sempre
o amor se acabando ?

você veste seu palitó
amarrotado;
neve lá fora
o céu não passa
de uma parede
de aço;
eu penso naqueles
dias que foram...
que eu te fazia
dias belos
dias claros
dias raros;


desde quando
não te fiz feliz?
o amor é sempre
por um triz?



[ Cáh Morandi ]

Nenhum comentário:

Curta