3 de fevereiro de 2008

Nosso soar



Eu amo se me deitas e de súbito beijas
O mais íntimos segredos meus
Quando cola nos meus lábios os teus
E recebes meus gemidos sufocantes
E os bebe garganta a fundo
Como o mais puro dos pecados

(....)
Eu amo nossos corpos entrelaçados,
Nossos movimentos ritmados
Na medida que finda nossa respiração
Selvagens, doces, mistos, alados

(....)
Eu amo dormir e acordar ao teu lado
Por cima de ti, meu território sagrado,
Onde posso esmorecer ou libertar-me
Esperando o abrir claro de teus olhos

(...)
Eu amo quando fazemos amor
Mesmo quando o fazemos calados
No silêncio que só nossa entrega conhece
Onde o que precisa ser dito acontece
No soar do teu corpo e do meu.


[ Cáh Morandi ]

2 comentários:

Carlos Lima disse...

Elas já não pensam dessa forma. Você é bem especial.///Me dizes o que queres e te mando. Beijo.

Carlos Lima disse...

Vim ganhar inspiração para o domingo quieto. Perfumarias no gmail.

Curta