14 de fevereiro de 2008

Então olhar-te




Aquele dia...
(Aquele dia que fui somente sua)
Eu tremia dentro do vestido
Que se desenhava com o vento
Sobre meu corpo claríssimo;
Lembro que você apoiou
As mãos em minha cintura
E me beijou o queixo e depois os lábios
E então eu fui parando de tremer;
(Fui começando a me entregar)
Quando você me tocou dessa forma,
Quando eu te senti a primeira vez;
Quando nos embebedamos do desejo,
Quando por fim o amor foi cometido,
E descansamos na paz de nosso abraço
Banhados de nosso próprio suor;
Olhar-te nos olhos... apenas olhar-te...
Era como chegar com toda a primavera
No último dia grafite de outono.



[ Cáh Morandi ]

3 comentários:

A. C. O'Rahilly disse...

espectacular poema!

Carol Mendes disse...

Oi, uma visitinha básica pra deixar um beijinho.

Clê disse...

Cah...vc é um doce...o amor é coisa mais linda do mundo, tuas poesias são lindas..bjinhos

Curta