2 de fevereiro de 2008

Depois da uma




avançou a noite e já passou da uma da manhã
e vi sua fotografia, seu sorriso no retrato,
mundo torto, nada absolutamente exato,
conto os passos, ando todo o quarto,
troco a camisola e deito nua,
na cama que é vazia de ti...

não durmo,
fico entre pensamentos...
porque se mesmo você sendo meu
o tempo inteiro fico sentindo tua falta
confesso a verdade: esse amor me mata,
como se meu coração quisesse ser sempre teu




[ Cáh Morandi ]

Nenhum comentário:

Curta