29 de janeiro de 2008

Assim te trago



Como o mar sustenta a grandeza do céu,
Suas estrelas, seus sóis e seus tons;
Como a flor da primavera nas mãos
Pequenas e delicadas de uma criança;
Como a brasa queimando ardente
Absorvendo o calor, entregando-se em chamas;
Como todas as coisas que podem ser
Levíssimas e instantaneamente eternas...
Como todas as delicadezas existentes
Que mudam, tocam e transformam...
Como toda chuva que germina a terra
E se banha em sua própria água.
Assim eu te seguro, assim eu te trago,
Dessa forma que te amo...
Como se permanecesse ligada a teus lábios
Pelo mel corrosivo de meus lábios;
Como estivesse morando em teus olhos
Na estrutura inconstante de meus olhos;
Como se segurasse o teu coração
Entre as mãos do meu coração.



[ Cáh Morandi ]

Um comentário:

Carol Mendes disse...

Seria necessário um poema para descrever os sentimentos que me vem ao ler suas publicações. És iluminada. Um beijo no coração.

Curta