23 de março de 2007

Peso e Tamanho

Tentei te dizer com o exatidão

O amor que em mim carrego.

Tentei pesar,

Mas amor não tem peso.

Tentei medir,

Mas com que régua amor medir ?

Que cálculos pudera eu fazer?

De sorte te digo,

Que te amo sem peso nem medida

Nesse amor que tem o tamanho

Maior do que cabe numa vida.

( Cáh Morandi )..

A maior riqueza


Não preciso dessas coisas passageiras que me cedes
O que quero é teu carinho, é teu cuidado
O que quero é o sentimento que pode ser eterno.
Bens e riquezas não me valem nada
Quando o que preciso é algo maior que o mundo.
Se tu me viesses nu e faminto
Assim mesmo te desejaria.
Te amo pelo que és.
Não pelo que tens.
Te amo pela forma que me abraças.
Não pelos presentes estrangeiros.
E se tu se perdes e se enganas nesse caminho,
Quantas vezes mais terei de te explicar
que eu não te seguirei por aí?
Já devias saber que eu não te sigo...
Eu dou a volta e espero-te ao fim da estrada,
Pra te lembrar do amor que deixaste na vida
Pensando valer menos do que agora nada tens
Mas eu posso dar-te
O meu coração.
(...se quiseres... )


( Cáh Morandi )

.
.

16 de março de 2007

Do caminho


Era estranho.
De repente ser sozinha de novo.
O que tenho é um caminho pela frente
E ás vezes quando olho
Parece escuro e sinuoso
Outra hora claro e reluzente.
Você sabe o que sente
Quando tens que partir ?
O que sinto é doer-me o peito
Sabendo que pra trás deixei
Um amor de verdade
E que gostaria de contar
Quando chegasse na eternidade.

( Cáh Morandi )

Reconhecimento.



Foi só teu meu pensamento
A toda hora, em todo tempo
Mas nem por um momento
Percebi isso de ti.
Eu quis ser tua princesa e serva
Eu quis ser tua amada e companheira
Eu quis cuidar teu sono quando dormias
E te abraçar bem quente em noites frias.
Eu quis ser tua música e teu entendimento.
Eu quis ser tua poeta e tua mulher
Eu quis te dar a vida numa canção
Eu quis te dar, tudo que tinha, meu coração.
Eu quis dançar colada contigo na madrugada
Eu quis caminhar contigo na eternidade.
Te elegi o Rei do meu reinado.
Te elegi a Inspiração de meus versos.
Te elegi pra sempre ser meu amado.
Tive a impressão de ter me apaixonado
Mas por não te ver feliz ao me lado
Decidi ao menos ser triste sozinha.

( Cáh Morandi )
16/03/2007
10:28

12 de março de 2007

Encantador



Estes versos que pra mim declamas
Tem me encantando
Deixando meu coração desnorteado
Sem saber pra onde seguir.
Vives me fazendo rir
Nessas noites em que fico tão sozinha.
Tens me ensinado a fazer poesias
Fazendo verões em minh’alma fria.
Tens me domado pelas palavras
Tens me enfeitiçado com teu carinho.
Ah, me doce menininho!
Meu coração não pode ser teu!
Pois nele já há um amor maior que eu
Que a um Rei foi consagrado.
Mas que surja em teu destino
Alguém pra quem tua alma possas derramar
E assim esqueças de me tentar
Encontrando tua amada.
Por mais que eu esteja encantada,
Não posso contigo ficar.


( Cáh Morandi )

11 de março de 2007

Só sei que por não te ter agora
Minha alma triste chora
Por não ter a tua para amar
Como eu queria, não importa o dia
Viver para te alegrar.
Essa falta que te tenho
É a dor mais cortante que existe
Que fez desse dia, um dia triste
Sem que eu nem pudesse te abraçar.



-

Sentado na poltrona do avião
Sei que olhas na janela
E quando vês a imensidão
Lembra da triste espera
Que angustia teu coração
Mas quando chegue a primavera
Já teremos dançado aquela canção
E na manhã que for a mais bela
Unirei pra sempre
A minha
com a tua
mão.


-

Já que dizes


( Dedicado ao Principe )


Confundo tua cabeça e teu coração
Porque quis fazer tua vida uma canção
Pra que o mundo pudesse ouvir
E para que possas sempre sorrir
Em saber que sempre serei tua.

Confundo tua cabeça e teu coração
Porque quis trazer pra tua vida uma razão
Que não fosse a rotina de sempre
Eu quis te dar o melhor presente
E que eu chamo de amor.

Confundo tua cabeça e teu coração
Porque o mesmo fizeste comigo
E se não tornarmos esse sonho verdade
Meu amor, quando chegarmos na eternidade
Que história teremos para contar?

Confundo tua cabeça e teu coração
Porque és toda inspiração de minhas poesias
E tens o corpo exato que encaixa com o meu
E quando a gente se amou foi que rompeu
A luz que irá guiar nosso destino.
Foi nesses teus olhos de menino
Que eu pude encontrar minha vida.


( Cáh Morandi )

Impossibilidade

O dia amanhece quando trazes o sol em teus olhos
E quando acordas triste são que os dias chovem
Amado, sabe da onde vem o brilho das estrelas ?
Vem do reflexo do teu sorriso para os céus.
Em tudo que existe há tua vontade
E essas coisas que te falo dizem que é impossível
Mas só quem está apaixonado
Sabe compreender que nem tudo é bonito
Se não se tem nos olhos o brilho do amor.

( Cáh Morandi )

Lembrança


Tenho aquele ultimo beijo guardado
E tremo pensando ser um pecado
Amar-te tão derradeiramente!
Incontrolável paixão ardente
Que meus lábios tem pelos teus.

( Cáh Morandi )


Desse dia


Caminhei à tarde pela areia da praia
Água morna, o céu fechado.
Meu biquíni florido já desbotado
E as mãos carregando as sandálias.
Conhecidos a cada dez passos
Cumprimento e saudações
Naquele instante , ali onde caminhava
Mil idéias surgiram, disparatas.
Me senti nua, sozinha.
Não tenho sido a mesma.
Pensei: que tristeza!
A velocidade que a vida passa!
Onde antes eu fazia castelos de areia
Hoje é o lugar que dez minutos não tenho para ver
Quem me dera voltar algumas primaveras
Deixando esses triste invernos e solitários outonos
Para viver o verão de minha infância querida.


( Cáh Morandi )
11/02/2007

9 de março de 2007

A música elegida.



Segurando os lençóis brancos
Sobre meu ser desnudo
Acordei ouvindo você no banho
E eu achei estranho
Porque quando a água caia no teu corpo
Parecia uma melodia
Que eu buscava sempre escutar.
Estava em perfeita sintonia
Os dois instrumentos:
A água e teu corpo
E as notas saiam perfeitas
E mui altas que eu escutava no quarto
Foi tão linda a canção que se fez.
Foi a primeira vez que saber ousei
Da água e um Rei
Que sabiam se tocar.

...Quando te banhas, a água faz música contigo.


( Cáh Morandi )

Quando eu era


E eu que jurava amor eterno
A quem nem de benzinho me chama
Vai lá, desde quando sou dama
Que mendiga pra que me ames ?
Eu que era poetisa exclusiva para ti
Que guardei em meu peito um coração
Que fazia versos pela emoção
De que pudesses os elogiar.
Mas teus elogios estão espalhados
E nunca foi em meu reinado
Que eles puderam chegar.
Se te preocupas tanto com elas
Esqueça dessa donzela
Que um dia amor quis te dar.
Agora parto com meu verso
Para outro universo
E vou escrever poesias
Pra quem também me amar.

( Cáh Morandi )

Alguma Lembrança I


Foi entre as quinze e as dezesseis
Horas.
Beijou, amou, tocou
Aconteceu.
Banhei meu corpo na
Banheira
Entrei na água morna onde tu já
Estavas.
Cruzei minhas pernas sobre as tuas.
E foi naquela tarde
Quente.
Que senti que queria
Viver
Desde que fosse para
Ti.


( Cáh Morandi )

8 de março de 2007


Quem dera que eu fosse tua amada

Pra ouvir tudo que falas

Antes de deitar.

Quem dera que eu fosse tua escolhida

Pra viver toda vida

Lado a lado caminhar.

Quem dera eu ser tua Natureza

Pra ter toda beleza

Que vives a sonhar.

Quem dera eu ser tua companheira

Pra nas noites derradeiras

Te tirar pra dançar.

Quem dera eu ser a Princesa

E tua segura fortaleza

Que viverias a amar.

7 de março de 2007

Se acreditares


Se acreditares.


Não acreditas quando falo de amor
E de quando largaria tudo para ires onde for
Se tu soubesses que essa vida é única
E que se amanhã em outros braços eu estar
Podes ficar sozinho e sem carinho
E vai doer muito, e não um pouquinho
Não me teres para amar.
Quem sabe busques outras mulheres
Mas eu sei que o queres
É minha imagem encontrar.
Deitaras em outros braços quentes,
E quando olhares nos olhos de outra
É meu olhar que virá em tua mente.
Quando estiver demasiadamente angustiado
Te fará falta não me ter ao teu lado
Para dizer que vai ficar tudo bem.
Mas teu medo é do que vão pensar
E se por acaso vão falar
De estares apaixonado.
Quando tempo ainda te falta ?
Se vem logo a fria madrugada,
Então deita em meu peito terno
Que eu te farei eterno
Inspiração de todos os meus versos
Que a vida me permitir criar.


( Cáh Morandi)

6 de março de 2007

Nostalgia da Alma


Estava tudo numa caixinha florida guardada no armário embutido
Ali cabia tudo que sobrou de um tempo que foi bonito
E de um mundo que criei e que era tão florido
Lembro tão vaga das tardes e das cavalgadas sem fim
E do que foi vivido tão pouca beleza ficou dentro de mim
A noite, às vezes, eu me sentia sozinha e tinha medo
E nem sempre eram fantasmas, mas principalmente de saber...
Saber como seria daqui alguns anos, como seria ter que crescer
Com o tempo aprendi a ser forte e a subestimar minha natureza
Sabendo que nas palavras e atitudes simples morava a grandeza
Conheci o amor, amor próprio e amor partilhado
Amor que fica quieto, e amor que deve ser espalhado
Depois veio a poesia num desses dias que chovia sem parar
E quando a chuva começou a cair mais dentro de mim
Foi que as palavras souberam mais que a água inundar
Eu tinha um risinho meigo e uns cabelos despenteados
Umas mãos pequenas e um rosto delicado
Hoje tenho uns olhos puxados e cabelos mais cacheados
Tenho uma tatuagem e quase um mestrado.
Da ruazinha que eu tinha na infância caminhado
Foi trocado por um avião que levou pra longe demais
E de todos os brinquedos que estavam guardados
No meu quarto junto com os livros não cabem mais
Eu tenho saudades, eu quase morro delas
Mas se não fosses essas primaveras pelas quais passei
Do que viveriam as minhas poesias
Quem sabe da alegria
Da infância lembrada
Que ficou no peito guardada
Pra quando eu perder o fio da meada
Eu lembrar de onde eu vim.


( Cáh Morandi )

Estrelas que giram

Girou no ar uma estrela
Que parecia uma dançarina
Se fosse uma mulher
Na vida seria bailarina.
E as estrelas bailam sempre no céu
Dão-se as mãos e rodopiam
Quem sabe se fantasiam
Numa esperança que também não sei
Quem sabe pra quando o astro rei
Chegar para com elas dançar.

( Cáh Morandi )

5 de março de 2007

Quando dizes sentir a poesia



Disses-te que sente as minhas palavras
E sabes que todas são para ti
E assim são, porque és toda a Inspiração que me guia
Só sei fazer poesia quando penso em você
E quando te sinto a falta
A palavra não surge e a rima não vem
E os dias, que passam, sentido não tem.
É tudo sem graça e sem cor
Pois toda poesia só tem sentido
Quando fala de um grande amor.
Eu te amo assim escondida
E tu me amas sem poder falar
Nessas poesias que te escrevo
Foi onde pude contar
Desse sonho tão bonito
Que a gente vive a sonhar.
E nessas palavrinhas erradas
Falando de um amor certo
É onde deixo meu peito aberto
Para com as letras te encantar.
Te quero sempre nas horas mais vagas
Nas horas mais loucas, e nas horas mais calmas.
Sentes essa poesia, porque foi feita na alegria
Em saber que também me queres
E dentre todas as mulheres
Agora tens a mim.


( Cáh Morandi )

3 de março de 2007

As Janelas


Permaneciam abertas as janelas
Onde passavam borboletas entre elas
E invadiam toda imensidão
Do vazio que no meu quarto existia
Onde dias atrás vivia a alegria
E hoje mora a solidão
Mas permaneciam abertas as janelas
Quem sabe na ansiosa espera
Que bata mais forte o coração
O meu corpo vestido do camisola vermelha
Deitava na cama intacta e parelha
Onde sagramos nossa união
E ouvia baixinha tua voz com carinho
De certo cansou-se de ser sozinho
Voltou o passarinho pro seu ninho
Pra não morrer de solidão.

( Cáh Morandi )


Incontida imensidão de Amar
( Cris Poesia e Cáh Morandi )


Olho para lua,me sinto uma estrela a brilhar
É por que sou o que sei amar
Amando me perco,entre nuvens a procurar...
A que brilha mais forte entre a imensidão
A que suporta qualquer clarão,tamanha imensidão de amar
Sou a única estrela que de todas tem coração
Trago comigo um brilho,que não há empecilhos a procurar
Nas expressões incontidas e expressivas de um sentimento a me tomar
Repentinamente o que sinto nessa noite ímpar e desvairada
É que por ser a estrela mais distante eu seja a tua desejada
E por todas a mais sonhada, brilhante e acariciada...
E quando me olhas com tanto querer em me tocar
Olhar tão terno,além da alma a me enxergar...
Desisto do céu e desço para ao teu lado estar
Me perco no teu seio,sem anseio, afogando-me me embreio
E novamente recomeço o deleite de te amar
Sem pressa e sem demora, no tempo incontável das horas
Que tenho para te dar
Desejo incontido e preciso, testemunha constelar.



Dos Reinos.


Tens em teu mundo tantas donzelas
Das quais eu sou menos bela
Mas a que mais sonha em te amar
Podes escolher a mulher que quereis
Sabendo que pra mim seria o único de todos os reis
Com quem desejo ficar
Em teu reinado de damas e poesias
E onde vive somente das alegrias
Sou a única triste a estar
É que sabes que tens meu corpo a qualquer momento
E não importa que se passe muito ou pouco tempo
Que eu vivo aqui a lembrar
Fos-te príncipe porque assim te nomeie
E quando te quis para meu rei
Escolheste outra rainha em meu lugar.

( Cáh Morandi )

Faça algo por você

Se quer fazer alguma coisa por você
Faça amor hoje!
Agora, sem pressa.
Amor é pra ser feito
E não de qualquer jeito,
É pra ser feito devagarzinho
Na sala ou cantinho
Desde que seja amor.
Não tem hora, não tem nexo
E amor não é sexo,
Mas sexo é parte do amor.
Amor ultrapassa a alma
E tudo o que não se explica
Amor é tudo aquilo na vida
Que faz a gente cantar.
Amor é todo sentido
Que faz do mundo escuro
Uma luz com intenso brilho
Na vida de quem amar.
Amor é mais que as palavras
Aliás nem cabe nelas
Porque amor abre na alma
Tantas janelas e a gente só sente
Ele ali habitar.
Amor é quando a gente chora
E quando a gente ri à toa
É quando no meio da garoa
Você deseja sair e o corpo no nada girar.

( Cáh Morandi )

Do primeiro Beijo

Parecia um sonho
Verte-te assim
Tão perto de mim
Colando teu rosto no meu.
Lembro do beijo
Acanhado
E molhado
Da primeira vez.
E penso na noite
Que dormiu em mim
Abraçado
E eu sentido teu corpo
Encostando no meu suado.
Eu tenho ainda teu cheiro
E em tudo que olho
Eu vejo
Quando me disse adeus.
Eu lembro também
Do ultimo beijo
Que parecia eterno
Do teu amor
Que se acabou.

( Cáh Morandi )

Se tu soubesses

Se tu soubesses
Que te amo
Não fazias
O engano
De me deixar partir.
Se tu soubesses
Que te amo
Como o jardineiro
A flor
Já terias me dito:
Também te amo meu amor!
Se tu soubesses
Que te amo
Em todo o tempo
Não tem hora
E nem momento
Que tu saias
De meu pensamento.
Se tu soubesses
Que te amo
Quem sabe
Teu triste olhar
Pudesse com o meu
Encontrar.
Se tu soubesses
Que te amo
Que maravilha seria
Em teus braços
Acordar.

( Cáh Morandi )

Curta