29 de janeiro de 2007

A manhã de meu dia.

São as primeiras horas
Da semana que inicia
Vinte e nove do primeiro mês.
E meu primeiro pensamento
... é teu.
Acordo sem ser dona de mim.
E tudo te pertence:
O gosto na minha boca;
O cheiro na minha pele;
As palavras que eu solto;
A chuva que agora cai;
Meus olhos que buscam teus olhos;

Desde o primeiro dia
Nada mais me pertenceu.
Não fui dona de mais nada.
De tudo que te entreguei
Me reinventas-te.
Me inundas-te.
Me invadis-te.
E nunca fui tão completa.
Tão repleta.
Tão minha.
...Tão tua.

1 de janeiro de 2007


Olhe nos meus olhos e diga o que você, vê quando eles vêem que você me vê? Olho nos seus olhos e o que eu posso ler? Que eles ficam melhores quando eles me leêm.Eu leio as suas cartas eu vejo a letra, meu Deus que homem forte que me contempla.Sou sua mas não posso ser.Sou seu mas ninguém pode saber.Amor eu te proíbo de não me querer. Olho nos seus olhos e sinto que você faz eles brilharem como o astro-rei.Olhe nos meus olhos e o que você vai ver?Seu rosto iluminado a Lua de um além.Eu leio as suas asas, borboletas, meu Deus que linda imagem me atormenta.Sou seu mas eu não posso ser.Sou sua mas ninguém pode saber.Amor eu te proíbo de não não me querer.De não me querer.De não me querer

Curta