10 de novembro de 2007

Dentro do poema


Devo te escrever com calma
E com firmeza nessa hora
Porque te escrevo para dizer
Que no mundo deves ser
O homem mais amado


Cada letra tem o significado
De escrever de meu amor;
Ter o dom capaz e portador
Do grande mistério carregado
Dentro de nosso próprio peito


(coração)(CORAÇÃO)(coração)

(Você é meu coração)


Quem mais, em pleno
Ano de 2007
Se apaixonaria
Por uma menina
(mulher, eu diria)
Que escreve poesia
Para declarar seu amor?


Ah, meu querido,
Que estupendo delírio
É amar-te entre versos
Há encontros diversos
E te encontrei num poema

E pela primeira vez na vida
O amor teve rima,
Teve cor, teve nexo.


[ Cáh Morandi ]


3 comentários:

Cris... disse...

E vc. ainda me chama de poetisa, que é isso menina? Sou não... às vezes até ensaio um poema, tento versos e rimas, mas não é algo inerente, latente, como vejo que ocorre com vc. Vc. escreve demais, a impressão que tenho é que respira poesia, isso sim é ser poetisa! Um beijo grande, mocinha linda!

Dilean de Bragança disse...

Concordo minha amiga Cris...rs
Essa minhamaninha me comove a cada verso que leio. Que forma singela e transparente de rasgar seus sentimentos, minha linda!!!
Tinha que vir aqui hj beber um pouco de suas palavras, volto agora mais saciada.
Obrigada.
Te amo muito.
Curiosa aqui em saber de novis.;-]
Bjus nessa alma linda.

Dilean de Bragança disse...

Abra os olhos...
A estação do amor vive em vc.
Saudadonaaaaaaaaaaaa!
Linda minhamaninha.
Bjus e bjus.

Curta