25 de outubro de 2007

Um lado só




É final de outubro
Chove insistentemente
Deixando o dia sem cor alguma
Fazendo com que a primavera
Se esconda por trás desse tempo
Enquanto o mundo fica a girar
Bebendo lágrimas do céu triste
Me perco entre letras e a música
Que diz que há dois lados da janela:
Um que a chuva visita,
Outro, que o amor se despede,
Mas se me descuido num instante
Os dois lados penetram em mim
Se tornando um só sentido
Para todas as coisas dessa manhã:
Um amor que se despede enquanto chove...


- Cáh Morandi -

2 comentários:

A. C. O'Rahilly disse...

amor é por vezes uma daggger às nossas emoções, mesmo quando ele não se destina a cortar.

Este poema é tão bem escrito como qualquer coisa que você já tenha feito.

deborah disse...

Lindo, Cah, lindooooo demais!!!
adorei este!!! bjos linda!

Curta