9 de outubro de 2007

Tuas (pequenas) mãos



Quando fui até a praia
Levei tuas mãos comigo
(As levei entre as minhas mãos)
Elas são tão pequenas e leves
Sempre se convidam para um passeio.
Essas tuas doces mãos,
Que por vezes me revelam
Que por noites me ascendem
Que por dias me carregam
Que por desejo me derretem
Que por amor me adormecem
Que por inocência me dominam.
Essas tuas mãos, pequeninas,
Que me desvirtuam, que me levam,
Que me fazem tua, que me deixam nua.
Sim, essas mãos que levo até a praia
E as lavo entre as ondas que quebram
Para deixar o teu cheiro de maresia
E ser entregue em todos os mares do mundo.

- Cáh Morandi -



3 comentários:

O Profeta disse...

Tens magia...tens encanto...


Beijinho

A. C. O'Rahilly disse...

Você faz o mundo maior e menor ao mesmo tempo, uma habilidade verdadeira do poeta. Maior, abrindo seu mundo e nossos à beleza você abrange. Menor, mostrando as emoções e os pensamentos que nós temos são queridos.

Dilean de Bragança disse...

Passando pra registrar meu carinho e receber seu carinho em forma de palavras lindas.
Bjus na alma minhamaninha.

Curta