28 de outubro de 2007



Eu não poderia sentir o veludo das nuvens
Nem as cores desse infinito
Que se pinta sozinho
Perto dos lábios teus
Se não sorrisses trazendo
Parte do que pode ser eterno

Em tudo que era meu
Pusestes novos sonhos
Que podem ser concretos
E que os sinto
Como se nascessem de minhas mãos


Eu estava num mundo branco
De olhos castanhos
Esperando te encontrar
Mal sabia que tu já estavas
Em alguma parte
De meu coração
Mantendo-me viva
Sendo meus olhos,
Sendo meus lábios,
Quase como o ar
Quase como a fé


Você é o paraíso
Onde moram os anjos
Onde Deus descansa
Que minha alma canta
Onde quero ficar.



- Cáh Morandi -

Um comentário:

Curta