17 de outubro de 2007

As flores que eu batizava




Um dia eu coloquei meu melhor vestido, minha melhor sandália, arrumei cada cacho do cabelo, fiz poses em frente ao espelho, e devia ter uns sete anos, não mais que isso. Daí, eu fui brincar no jardim de casa, mas nada de bonecas, o que eu gostava era de me pendurar nas árvores e desenhar na terra... E na primavera, era sempre mais divertido e bonito, porque eu inventava um nome para cada flor que nascia.Geralmente, cada flor, recebia no batismo o nome de alguém que eu amava e nisso entrava parte da família, alguns amigos, e uma vez até o nome do João, que foi minha paixão na terceira série. Só não gostava quando o dia ia terminando e minha mãe ficava gritando para que eu entrasse para o banho. Esse dia, me lembrei com saudade, porque foi a primeira vez que ela não brigou por eu ter usado minhas melhores vestes para brincar, não sei o que havia acontecido no seu dia , mas ela me abraçou com um amor tamanho, que logo quando chegou de novo a primavera, mais de 20 flores receberam o nome da minha mãe.


- Cáh Morandi -

2 comentários:

A. C. O'Rahilly disse...

linda...aberto, doce, delicada como um lírio.

Dilean de Bragança disse...

Que lindoooooooooooo!!
Vc realmente se torna a cada momento mais especial pra mim. É... Meu coração nunca se engana quando ama!!!
Vou navegar blogger abaixo e sair te falando algumas coisas por aí!!! rs

Curta