20 de setembro de 2007

Quando te escuto

A fim de que me ames
Canta o vento teu nome
E desenham as nuvens tua face
Vou andando por essas ruas
Sabendo não te encontrar...
De repente eu paro, confusa,
E é como se ao longe te ouço me chamar
(é doce poder ouvir tua voz ainda...)
Mas sei que não eras tu,
Não eras tu, meu maior desejo,
Era essa falta gritante
Te lembrando
E me ferindo.

- Cáh Morandi -

Um comentário:

A. C. O'Rahilly disse...

Isto é assim bonito entre o desejo e a dor. Obrigado.

Curta