22 de setembro de 2007

22 of September - 1º day

(Para Andrew em sua ausência)

1.

Borboletas estão colorindo o ar
Um dia antes de chegar a primavera
E um amor partiu sem dizer adeus
E contra sua própria vontade
Seu sorriso ficou tão mal inventado

(Você é tão só como uma flor que resistiu ao outono)


Embora tenha o mundo ao teu redor
Você não tem mais o que precisa
(Não, nunca, nunca mais...)
New York é perfeito para se esconder
Porque as luzes dos prédios
São como luas de mentira
(e porque você acredita?)

Quero que você seja um pássaro
Que ultrapasse o horizonte
Para descansar em meu jardim
Lembra?
Você será tudo que eu pedir!
Então voe, voe, voe...
(meu solitário pássaro)
Na direção de um possível amor...

Borboletas
São pedaços de cores que flutuam
Contra o azul do céu
(Quero ser uma borboleta!)
Eu posso te surpreender sempre
Eu posso te encontrar...


Você deve estar sentado
No alto daquela montanha
No verde de Ireland
(Descanse perto do paraíso...)
O amor está dentro de você
Basta que o encontre...

2.

Tenho noticias
De quem em New York
As luzes dos prédios
Foram se apagando
Na mesma e exata medida
Que você encontrava o amor
Breve, você voltará
Trazendo a lua de Ireland
(Eu estarei aqui, sempre aqui)
Nunca, nunca
Estará sozinho novamente

Meu livre pássaro
Você é a única flor
Que resistiu ao outono...

- Cáh Morandi -

Um comentário:

MARÇAL FILHO "Poesias e Outros" disse...

Poema belíssimo, Cáh, leveza, serenidade e esplendor em compassos de saudade...


Beijos Marçalíssimos e meus respeitos!

Curta