27 de agosto de 2007

Pequeño ~

[O mar azul insiste em se confundir com o céu]

...Há uma paz nascida por esse tempo
E então, depois do medo,
Depois da solidão e do abandono
Abre-se uma janela de fronte para uma varanda
E está o mundo numa cor branca
Onde a poesia chega perto dos olhos teus!
Olha, Pequeño, que surpresa
Porque está chegando a primavera
E se poderá deitar no verde!
Sem receios, mãos dadas,
Palavras sugadas pela fome do desejo!
[RE] nasce o contentamento...
Passe tempo, passe tempo...
E no momento que
Mar & Céu se fundirem
[PARE][PARE] t e m p o!

Foi estranho, como tudo que é bonito...
Mas não podia me prender ao detalhe de hoje...
E nem porque...
[O mar azul insiste em se confundir com o céu]

Nenhum comentário:

Curta