13 de junho de 2007

Poesia ao namorado ausente

É um dia cinza
Porque hoje sei que não vens.
Vai tardar pra que sigam as horas
E as passarei pensando em ti.
Enquanto se entregam os apaixonados
Confundidos entres beijos e abraços
Estarei envolvida na tua lembrança.
Não sou mais teu benzinho,
Tua natureza, tua mulher.
Não sou mais tua amante,
Tua namorada, teu bem querer.
Meus passos vão pelas calçadas
E fica longa qualquer estrada
Se não tenho tua mão para prender.
Sabes tão certo que faz falta,
Que me entristece a alma
Não poder te dizer hoje
O quanto amo você.

( Cáh Morandi )

Nenhum comentário:

Curta