3 de junho de 2007

Os Signos Íntimos do Poeta - Febá e Cáh



Por qual caminho segue a alma de um poeta ?
Por questionamentos íntimos da procura da forma
Pelas incertezas do real, pelo concreto sentimento que carrega
Em ser um artista que percebe o mundo com um vasto pensamento
Comportando o universo no peito, e criando novos em sua imaginação
Sentindo um medo, de sentir demais, o que não se sente em calar
Ele morre e surge inúmeras vezes nas palavras, é o próprio encantamento
Dialogando na imensidão da sensação os seus significados envolvidos
Seu destino é de inúmeros caminhos, mas ele não sabe, às vezes, pra onde vai
Ele segue por um caminho que percorre toda a eterna novidade do mundo
Sente demais, e isso creio que dói, porque a sensibilidade é um dom divino nele
Em humanos estímulos, ele retoca os invisíveis subjetivos das razões enaltecidas
Pinta nas poesias as telas desenhadas das cores que brotam no verso profundo
Contorna a magia das palavras conduzindo ao íntimo os seus próprios signos.
O poeta também não sabe pra qual caminho segue, ele só sente, e isso já basta
Sentir é fazer do seu mundo um imenso campo de experimentações interiores
Todo o sentimento poético é um signo querendo encontrar significados
O poeta é aquele que vê o mundo pelas sensações.

( Fernando Febá & Cáh Morandi)

Nenhum comentário:

Curta